Goverdo do Estado do Piauí

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Bombeiros demoram a chegar em Jaicós e criticam populares que buscaram o corpo de jovem

A morte precoce do jovem Vinícius Santos, de 15 anos, ocorrida na tarde do último sábado (02) no açude Tiririca, chocou a população e repercutiu muito da cidade de Jaicós. Um dos pontos mais comentados foi a demora dos mergulhadores do Corpo de Bombeiros de Teresina e a falta de estrutura na Unidade de Picos.
O Corpo de Bombeiros de Picos foi acionado para ajudar na busca ao corpo da vítima, que desapareceu nas águas barrentas da represa. Minutos depois, uma viatura com dois homens chegou ao local, porém, as expectativas da população foram frustradas. Os soldados informaram que não tinham preparo para o mergulho e que uma outra equipe iria se descolar da capital, Teresina, para realizar as buscas no domingo (03).
Na manhã do dia seguinte, populares desacreditados com a informação dos Bombeiros, iniciaram uma verdadeira operação em busca ao corpo de Vinícius. Mais de 10 homens realizavam mergulhos e utilizavam equipamentos improvisados. Por volta das 9 horas, uma grande salva de palmas entoada pelas centenas de pessoas que acompanhavam a ação, anunciou a localização e a retirada do corpo do jovem. O fim de uma angustiante espera, que durou cerca de 19 horas. Até a retirada do corpo e a remoção para o Hospital Florisa Silva, os mergulhadores do Corpo de Bombeiros ainda não haviam chegado ao açude.
Populares resgatam vítima de afogamento - Foto: Portalpontonet
A ação dos populares foi aplaudida pela multidão, mas foi contestada pela capitã Ana Cléia, comandante do Corpo de Bombeiros de Picos. A oficial explicou que a ação dos populares foi errada e perigosa. “As pessoas arriscaram suas vidas nessa busca. Nós fizemos o alerta do perigo, mas fomos ignorados. Os mergulhadores chegaram poucos minutos depois do resgate feito pelos populares. Poderiam ter esperado mais um pouco”, disse a capitã.

A Major Najra Nunes, do Corpo de Bombeiros de Teresina, esclareceu ainda que a denúncia veiculada nos meios de comunicação, de que a Unidade de Picos não possui equipamentos de mergulho, não procede. “Nós temos sim, equipamentos em Picos, não temos é mergulhadores. Uma equipe de mergulhadores de Teresina foi deslocada para a cidade de Jaicós, mas ao chegar lá, a população já tinha feito o resgate”, informou. Segundo a Major, pelo fato da água ser muito barrenta, os bombeiros não teriam visibilidade alguma e que o cilindro de oxigênio seria fundamental para que os profissionais permanecessem tateando o fundo. Com informações do Cidade Verde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário