segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Missa de 1 ano da morte de Emídio Reis marcada pela comoção

A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em São Julião, ficou pequena na tarde da sexta-feira, 31 de janeiro, durante a realização da missa que marcou o primeiro aniversário de morte do ex-vereador Emídio Reis da Rocha.  Muita gente acompanhou a missa fora da igreja, através de serviço de som montado pela família.
A missa foi marcada por muita comoção de familiares, amigos e eleitores do ex-vereador. Emídio Reis foi homenageado com vídeos  e leitura de textos que relembraram a trajetória do político, assassinado em janeiro do ano passado. O cantor fronteirense Jurdan Gomes mostrou a música “A morte não é fim”, composta em homenagem ao ex-vereador. 
“Emído Reis, guerreiro bom menestrel, estais no céu recebendo a sua glória, o grande Deus fará seu sonho real, seu ideal eterniza a sua história”, diz o refrão da música.
A estudante Andessa de Sá Rocha, filha mais nova de Emídio Reis falou nome dos irmãos Caroline e Raul e da mãe, Maria Neta.  Foi um dos momentos mais emocionantes da celebração. “Único, inteligente, humilde e sonhador. Esse era o nosso pai. Cativante, capaz de fazer inúmeros amigos” disse Andressa.
Emocionado e com a voz embargada, o  deputado federal Marcelo Castro (PMDB-PI) lembrou da importância de Emídio Reis dentro do partido e na defesa do povo de São Julião. O parlamentar disse que Emídio foi morto de forma covarde e traiçoeira. “Emídio não merecia morrer de uma maneira tão baixa e tão violenta, de gente que não tem respeito pelos seres humanos.  A sociedade piauiense, a polícia e a justiça estão atentas. Os culpados  merecem apodrecer na cadeia pela barbaridade que fizeram com ele”, disse Marcelo Castro. Também estavam presentes na missa os deputados estaduais Mauro Tapety (PMDB) e Roncalli Paulo (PSDB).
Caminhada
Já era noite quando os participantes da missa  saíram em caminhada pelas principais ruas da cidade. O trajeto foi feito de forma silenciosa, até chegar ao antigo comitê de campanha de Emídio, onde estão expostos fotos, banners e documentos que lembram a vida do ex-vereador. Foi a segunda caminhada realizada em São Julião para pedir justiça no caso. A primeira aconteceu em fevereiro do ano passado, quando o corpo do ex-vereador ainda não havia sido encontrado.
redacao@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário