terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Dinheiro não traz felicidade', diz ganhador da Mega-Sena sequestrado

Ganhador de prêmio da Mega-Sena, pedreiro continuava a trabalhar (Foto: Tatiana Santiago/ G1)  Acostumado a levar uma vida simples como autônomo, o pedreiro que foi sequestrado após receber um prêmio de R$ 7,8 milhões da Mega-Sena disse que o dinheiro não traz felicidade. Ele contou ao G1 o sufoco que passou nas mãos de criminosos que integram uma facção criminosa que age dentro e fora dos presídios do estado de São Paulo.
“Pra mim não trouxe não, o que eu passei hoje não trouxe felicidade. Eu pensei que ia trazer. Como eu ia ajudar minha família, eu pensei que ia ser, mas o final foi esse aí. Sinceramente trouxe tristeza”, lamenta o vencedor. Além do milionário, seu irmão de 42 anos, também foi levado pelos criminosos.A vítima foi abordada por volta das 13h em sua própria casa, em Guarulhos, na Grande São Paulo, após sacar R$ 5 mil em um banco para viajar para a Bahia, sua terra natal. Seu irmão, que também trabalha como pedreiro, estava em sua casa somente para visitá-lo. Os dois viajariam de carro até o Nordeste.
O pedreiro, que há 15 anos veio da Bahia, não abandonou seus costumes da época em que era um simples operário e continuou trabalhando em obras, fazendo esforço carregando sacos de cimento nas costas. Andava com uma moto velha, que havia sido comprada nos tempos difíceis.
Segundo o pedreiro, ninguém sabia que ele havia faturado o prêmio, além do seu irmão e um tio mais próximo. Apesar disso, nas últimas semanas as pessoas com quem se relacionava perguntavam direto se ele havia sido o vencedor.
“Saiu da lotérica, comentaram na lotérica. Uma menina comentou quando eu entrei: ‘olha lá o ganhador’ ”, afirma. Segundo relato da vítima, os sequestradores disseram que o estavam perseguindo fazia tempo.
Vestindo roupas surradas, o vencedor da Mega-Sena chegou até a ser zombado pelos sequestradores. “Eles disseram: ‘eu não acredito, o negão é um cara de sorte. Você com um dinheiro desses e zoado desse jeito’. Eles diziam o tempo todo se eu não colaborasse eu sabia o que ia acontecer”, disse. Os criminosos chegaram a ameaçar cortar uma parte do seu corpo.
“Eu via na televisão isso ocorrendo com os outros e nunca imaginei que fosse acontecer comigo. Mas o dinheiro é uma maldição tão grande”, disse a vítima, que vai embora para a Bahia.  “Eu não quero luxo, o dinheiro era pra ajudar minha família”, ressaltou.
“Infelizmente, quem tem alguma coisa passa a ser perseguido, acaba o sossego, a pessoa não tem liberdade mais”, lamenta ele, que aparenta desapego ao dinheiro cobiçado. Muito assustado, seu irmão, desabafou na delegacia. “Nasci de novo”, comemorou.
Sequestro
Um casal armado invadiu a casa do pedreiro, no bairro Continental, na periferia de Guarulhos, na Grande São Paulo, na tarde desta segunda. “Cheguei em casa e guardei o dinheiro no guarda-roupa, com outro que estava guardado, e sentei no sofá com meu irmão. Não deu cinco minutos e os caras chegaram gritando”. Em seguida, as vítimas foram imobilizadas. “Me amarraram com carregador de celular e pedaço de pano e pediram dinheiro. Depois amarraram minha boca, pegaram eu e meu irmão, colocaram dentro do carro e levaram para cativeiro.”
Levados para um imóvel na cidade de Mairiporã, as vítimas trocaram de casa no início da noite de ontem e voltaram para a cidade de Guarulhos, local onde a polícia estourou o cativeiro.
Na madrugada desta terça-feira, policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), que já investigavam uma quadrilha especializada em arrecadar dinheiro para uma facção criminosa, encontrou o cativeiro. O grupo, que era investigado havia cerca de 60 dias, fazia roubos de carga e roubo a banco.
Na troca de tiros, um suspeito ficou ferido. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. O outro foi levado para a sede do Deic.
No cativeiro, a polícia apreendeu duas armas - uma pistola .40 e revólver calibre 32 - e 1kg de cocaína. O suspeito morto, um feirante de 25 anos, tinha passagens por roubo e homicídio, segundo a Polícia Civil. Já o detido de 23 anos também tem passagem por roubo.
Polícia liberou irmãos sequestrados na madrugada desta terça (Foto: Edison Temoteo/Futura Press/Estadão Conteúdo)
   G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário