EBENET

EBENET
A sua melhor conexão

MP MOTO PEÇAS

MP MOTO PEÇAS

Dr.Batista

Dr.Batista

SALÃO 5 ESTRELAS

SALÃO 5 ESTRELAS

ÓPTICA LUZ

ÓPTICA LUZ
a luz dos seus olhos

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Plano Safra: Piauí terá recursos R$ 1,2 bilhões para investir no setor agropecuário

Plano Safra: Piauí terá recursos R$ 1,2 bilhões para investir no setor agropecuárioTerceiro maior produtor de grãos e oleaginosas, o Piauí deve figurar a 2ª posição no ranking de produção no Nordeste, de acordo com o secretário da SDR, Francisco Lima. Medidas para alcançar a meta estimada pelo Governo do Estado será apresentada às 11h, desta terça-feira (08), no Salão Branco do Palácio de Karnak, durante apresentação do Plano Safra 2015/2016.
“O Piauí está acima da média nacional e bem próximo de alcançar o Maranhão e se tornar o 2º maior em produção do Nordeste, encostando na Bahia que lidera o ranking. Destes três, somos o que temos mais áreas disponíveis. Com essa ação estratégica de apoio a regularização fundiária, cuja lei foi aprovada na semana passada, isso dá mais segurança para os investidores, além dos incentivos à agricultura familair”, disse o secretário da SDR, em entrevista ao Notícia da Manhã.
O Plano Safra é resultado de ações conjuntas de órgãos estaduais, federais, Sistema “S” (Sebrae- PI e Senar), além de instituições financeiras, com o objetivo de apoiar ações de custeio e investimentos para produtores rurais do Piauí.
“O Plano é voltado tanto para ações voltadas para a distribuição de sementes, criação de mecanismos de assistência técnica que facilitem aos agricultores familiares terem acesso ao crédito que existe. A presidente Dilma tomou uma decisão acertada de aumentar em torno de 20% o volume de crédito disponilibilizado”, reitera.
Francisco Lima explica ainda que o calendário com os recursos disponilizados para os investimentos, abrange os meses de julho de 2015 a junho de 2016. Para o Plano deste ano, estão sendo disponbilizados R$1,2 bilhões para serem investidos no setor agropecuário, sendo cerca de R$ 426 milhões para a agricultura familiar e em média R$ 800 milhões voltados para o agronegócio.
“Estamos com um conjunto de medidas para facilitar o acesso de crédito ao agricultor, com distribuição de sementes na hora certa e com a qualidade desejada. Para diminuir o endividamento dos agricultores, estamos trabalhando no sentido de reestruturar órgãos de assistência técnica como abrir chamadas públicas que garantam assitência técnica aos produtores”, disse Francisco Lima.


Fonte: Cidade Verde

Nenhum comentário:

Postar um comentário