EBENET

EBENET
A sua melhor conexão

MP MOTO PEÇAS

MP MOTO PEÇAS

Dr.Batista

Dr.Batista

SALÃO 5 ESTRELAS

SALÃO 5 ESTRELAS

ÓPTICA LUZ

ÓPTICA LUZ
a luz dos seus olhos

terça-feira, 12 de maio de 2015

Governo do Piauí quer parcelar reajustes para servidor

Governo do Piauí quer parcelar reajustes para servidorO governador Wellington Dias afirmou que vai parcelar o reajuste para as categorias de servidores públicos que têm aumento salarial para ser implantado agora em maio, como parte de planos de cargos, carreiras e salários aprovados no Governo Wilson Martins (PSB). As negociações com as categorias começam hoje. A equipe econômica apresentará o relatório financeiro do Estado com os valores que o Governo poderá conceder para as categorias.
Os secretários iniciarão o processo de diálogo com os servidores em cada pasta. A preocupação do governo é evitar um movimento grevista que paralise as áreas da educação, polícia e o sistema prisional (veja matéria abaixo). “Não vamos fazer nenhum acordo que não possamos cumprir”, assegurou o governador, ontem, na inauguração da Casa de Detenção de Altos. O secretário de Administração, Franzé Silva, é que está encarregado de conduzir as conversas com os servidores. Ele disse que o diálogo é necessário para evitar paralisações nos serviços públicos e gerar ainda mais problemas para o Estado, para os próprios servidores e para a população.
O governador Wellington Dias disse que tudo será feito de acordo com o possível, de acordo com o fluxo de caixa, para que o Estado não extrapole a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e fique impossibilitado de firmar convênios com o governo federal e realizar operações de créditos para fazer investimentos. “Não podemos matar a galinha dos ovos de ouro. Temos que fazer tudo com base no diálogo e com transparência, mostrando o que podemos e o que não podemos fazer. Não vamos fazer acordos que não possamos cumprir”, advertiu o governador.
“Sabemos que devemos cumprir a lei em favor do servidor, que fica na expectativa de um aumento. Apesar de as concessões de planos e cargos terem sido feitas sem estabelecer um parâmetro com a situação econômica do Estado”, justificou o secretário de Administração, dizendo que o governo quer honrar os compromissos firmados. Wellington e Franzé pediram que os servidores tenham compreensão, para que uma pressão por reajuste não resulte em bloqueio de recursos para o Estado.
Eles alertam que se o Estado extrapolar os gastos com pessoal permitidos pela LRF, o governo deixa de receber convênios e operações de crédito. “O Piauí não pode retroceder. Acreditamos na necessidade de um pacto. Não podemos ter uma insegurança no Estado. No que for possível, o Estado aumentará”, disse Franzé Silva.
 Fonte: Diário do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário