Goverdo do Estado do Piauí

sexta-feira, 27 de outubro de 2023

ASSOCIAÇÃO DOS ARRENDATÁRIOS CONTEMPLADOS PELOS AEROGERADORES DOS MUNICÍPIOS DE CALDEIRÃO GRANDE DO PIAUÍ, MARCOLÂNDIA E SIMÕES –ACMAS- REALIZARAM REUNIÃO NA CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE MARCOLÂNDIA PARA DISCUTIR IMPASSE COM A EMPRESA CHAPADA DO PIAUÍ.

Com objetivo de esclarecer descontos nos repasses mensais envolvendo arrendatários e a empresa Contour Global, que administra o Parque Eólico Chapada do Piauí I, Associação dos Arrendatários Contemplados pelos Aerogeradores dos municípios de Caldeirão Grande do Piauí, Marcolândia e Simões (ACMAS), que tem como presidente o Sr. Francisco Lacerda da Silva, vice presidente Feliciano de Carvalho Alencar, realizou na tarde desta quinta-feira dia 26 de outubro de 2023 uma reunião na Câmara Municipal de Vereadores de Marcolândia.

A reunião foi convocada pela ACMAS e seus associados para obterem respostas de descontentamento dos arrendatários das torres eólicas do Parque Chapada do Araripe I, que realizaram uma manifestação passiva no dia 17 de outubro em frente à entrada do parque, administrado pela empresa Contour Global em busca de respostas.

BLOG CHAGAS FOTOGRAFIAS: Marcolândia-PI, Arrendatários realizam manifestação pacífica no Parque Eólico Chapada do Araripe I- Contour Global e cobram transparência

A audiência contou com a presença dos arrendatários, do prefeito de Caldeirão Grande do Piauí, Filipe Douglas, do prefeito de Marcolândia, Corinto Matos, do presidente da OAB de Picos, Maycon Luz, do Técnico da EMATER-PI- José Aécio, Drº Pedro Vinicius- Advogado e Assessor Jurídico da ACMAS, de autoridades locais e das assessorias jurídicas.

Em entrevista, o assessor jurídico da associação, Pedro Vinícius, falou das expectativas dos proprietários depois da reunião.

“A nossa expectativa é a transparência. Transparência no trato para com esses descontos que estão sendo alegados pela empresa e a segunda expectativa é que a gente possa em um futuro próximo identificar e antecipar esses problemas antes que aconteçam, dando segurança jurídica para os arrendatários para que eles possam ser mais favorecidos com o contrato que firmaram. Como nós trabalhamos com o contrato que já existe, temos certas limitações, mas podemos, sim, e vamos, juntamente com a empresa, revisar o contrato e encontrar uma maneira adequada para resguardar essa relação jurídica”, disse o assessor jurídico da associação, Pedro Vinícius.

Em nota divulgada à impressa, a empresa Contour Global ressaltou o que já havia sido falado na reunião e disse que a medida firmada é temporária.

Prezado jornalista,

O Complexo Eólico Chapada do Piauí informa que se reuniu, na última quinta-feira (26 de outubro), com a liderança da Associação dos Arrendatários Contemplados Pelos Aerogeradores dos Municípios de Caldeirão Grande do Piauí, Marcolândia e Simões[1]ACMAS, seus membros e associados, que possuem aerogeradores instalados em suas propriedades em busca de esclarecer quaisquer dúvidas provocadas pela redução nos pagamentos mensais repassados a eles.

Durante o encontro, o Complexo Eólico Chapada do Piauí reforçou que tal redução cumpre regulamentações da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que afetam o resultado financeiro decorrente da venda da energia produzida pelos aerogeradores. Isso é resultado de cálculos anteriores realizados pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), que não consideraram algumas oscilações no volume de energia efetivamente gerado - as quais, por sua vez, fizeram com que a receita bruta do Complexo e, consequentemente, o repasse dos valores mensais referentes aos contratos de arrendamento tenham sido superiores ao efetivamente devido, a partir de 09/2019.

Ou seja, a atual redução dos valores repassados aos arrendantes acompanha a redução da receita do Complexo, em uma medida da CCEE para ajustar o que foi recebido a mais por ambas as partes durante os últimos 4 anos.

O Complexo Eólico Chapada do Piauí ressalta que o contrato firmado com cada arrendante estipula que os valores pagos a eles devem ser proporcionais, justamente, à receita bruta, deduzidos os impostos, taxas e contribuições dos parques eólicos. No entanto, para garantir a sustentabilidade das operações e manter uma parceria justa e equilibrada com os proprietários de terras, o Complexo tomou a decisão de complementar, a título de doação, o valor mensal dos repasses dos arrendamentos, até que se alcance um salário mínimo ao mês por cada aerogerador. Isso irá perdurar até que a situação se normalize.

Essa medida é temporária e será revisada regularmente, levando em consideração os desenvolvimentos do mercado, as condições climáticas e as regulações governamentais.

O Complexo Eólico Chapada do Piauí reafirma seu compromisso com a geração de energia renovável e de valor para a comunidade local e agradece a compreensão dos arrendantes durante este breve período.

Atenciosamente,

Complexo Eólico Chapada do Piauí

Informações à Imprensa



Fonte e Fotos: Blog Chagas Fotografias

Nenhum comentário:

Postar um comentário