quarta-feira, 9 de novembro de 2022

Morre Gal Costa, uma das maiores intérpretes da MPB

Morreu na manhã desta quarta-feira 9, aos 77 anos, a cantora e compositora Gal Costa. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da artista.

Uma das maiores intérpretes da música brasileira, Maria da Graça Costa Penna Burgos nasceu em 2 6 de setembro de 1945, em Salvador. Completou 57 anos de carreira, iniciada em 1965, quando a cantora apresentou músicas inéditas de Caetano Veloso e Gilberto Gil.

Foi a cantora que mais gravou as obras musicais de Caetano Veloso – foram 223 gravações, com destaque para as músicas Baby, Como 2 e 2, Divino maravilhoso. Também se destacam gravações das composições de Gilberto Gil, Chico Buarque, Cazuza e Jards Macalé.

Estão entre seus clássicos da MPB canções como “Meu nome é Gal”, “Chuva de Prata”, “Meu bem, meu mal”, “Pérola Negra” e “Barato total”.

A cantora se recuperava da retirada de um nódulo na fossa nasal direita, cirurgia feita em setembro, e ficaria fora dos palcos até novembro. Gal morreu em São Paulo, capital, e não se encontrava hospitalizada.

Uma das atrações esperadas no festival Primavera Sound, ocorrido no último final de semana, ela teve sua participação cancelada de última hora. A última aparição de Gal nos palcos foi em outro festival de música, o Coala, que aconteceu em São Paulo, em setembro.

Em outubro do ano passado, a cantora estreou, também em São Paulo, o show “As várias pontas de uma estrela”, no qual revisitava grandes sucessos dos anos 80 do cancioneiro popular da MPB. “Açaí”, “Nada mais”, “Sorte” e “Lua de mel” eram algumas das músicas do repertório. A previsão era de que a cantora retornasse aos palcos em dezembro, inclusive em turnê internacional.

A cantora deixa um filho de 17 anos, Gabriel, que inspirou o lançamento de seu 40º álbum, em 2018, ‘A pele do Futuro’, com canções inéditas. “Está vindo a geração que salvará o planeta”, disse ao G1 quando lançou o álbum.


Fonte: Carta Capital

Nenhum comentário:

Postar um comentário